MONITORAMENTO ESPAÇO-TEMPORAL DA CONCENTRAÇÃO DE SARS-COV-2 NOS ESGOTOS SANITÁRIOS DA RMRJ

08/11 – Evolução espaço-temporal da concentração de SARS-CoV-2 na RMRJ.

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Considerando a descontinuidade do monitoramento na ETE Paquetá a partir do presente boletim, dos 10 pontos inicialmente monitorados, apenas dois registraram redução das médias móveis para o presente boletim: ETE Penha e ETE Vargem Grande. Dada a impossibilidade de coleta representativa para a SE44/SM54 na ETE Sarapuí, não foi realizada a análise de evolução da média móvel para este ponto no presente boletim. Com base nos resultados das últimas dez semanas, desde início de setembro/2021, é possível observar a manutenção de patamares reduzidos de concentrações virais nos esgotos (<100 número de cópias/mL), nos pontos monitorados pelo Estudo Monitora Corona, corroborando com a tendência de redução dos registros epidemiológicos acompanhada pelo avanço na cobertura vacinal na Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

Conforme já observado neste e em outros estudos sobre a aplicação da ferramenta Epidemiologia Baseada nos Esgotos, o registro do aumento da concentração viral de SARS-CoV-2 nos esgotos sanitários pode servir como indicador do aumento dos registros epidemiológicos das semanas subsequentes.

Obs¹. Para mais informações e dados tabulados, consultar os relatórios mensais de acompanhamento do projeto. Obs². O monitoramento dos 10 novos pontos introduzidos em 03/05/2021 foi descontinuado a partir de
02/08/2021 e o da ETE Paquetá, iniciado em 16/06/2021, a partir de 08/11/2021, mantendo-se apenas os 10 pontos monitorados desde o início do Estudo Monitora Corona (26/10/2020).

MONITORAMENTO ESPAÇO-TEMPORAL DA CONCENTRAÇÃO DE SARS-COV-2 NOS ESGOTOS SANITÁRIOS DA RMRJ

Quadros Síntese